Finanças

Por que sua empresa precisa se preocupar com o fluxo de caixa?

fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma das principais métricas que devem ser observadas para avaliar a saúde financeira de uma empresa. Mas por qual motivo ele é tão importante?

A realidade é que o termo em si está dentro do campo da economia e das finanças. Por isso nem todos os empreendedores compreendem muito bem seu significado.

Entretanto, para melhor administrar uma empresa, esse conhecimento é precioso. A começar pelo fato de que podemos nos referir a ele como fluxo de entradas e saídas. 


O que é o fluxo de caixa?

Vamos começar pela definição. De forma bastante resumida, podemos entender esse conceito como o registro das entradas e saídas de dinheiro do caixa da empresa.

Ao destrincharmos o termo, temos duas palavras: caixa e fluxo. Caixa é o resultado da movimentação do dinheiro que pode entrar, sair ou simplesmente permanecer. 

Fluxo, por sua vez, descreve o movimento que o dinheiro faz. Podemos entender esse fluxo como sendo positivo ou negativo. Em outras palavras:

  • Positivo: Significa que está entrando mais dinheiro do que saindo;
  • Negativo: Significa que está saindo mais dinheiro do que entrando.

As movimentações dentro do fluxo de caixa, por conseguinte, são registradas como entradas e saídas.


O que são entradas e saídas?

As entradas e as saídas são os únicos tipos de movimentos possíveis dentro do caixa de uma empresa, ou o dinheiro entra ou o dinheiro sai. Desse movimento temos um resultado.

A diferença entre as entradas e as saídas, por sua vez, é sempre mostrada no mês posterior, e usada como ponto de partida para começar um novo ciclo mensal do caixa.

Alguns exemplos comuns de entradas que uma empresa pode ter no seu fluxo de caixa, são:

  • Recebimento de clientes via boleto, cartão, dinheiro espécie, transferências e etc;
  • Recebimento de juros ou mora devidos;
  • Contração de empréstimos financeiros.

Já os exemplos mais comuns de saídas são:

  • Pagamento a fornecedores;
  • Pagamento de mora e juros por atraso;
  • Contas de água, luz, internet;
  • Aluguel de uma sala comercial ou condomínio;
  • Reembolsos.

Como já dissemos, o ideal é que existam mais entradas do que saídas. Contudo, é fundamental analisar individualmente a situação de cada empresa.


O fluxo de caixa é uma boa indicação?

Por fim, é válido entender se apenas analisando as movimentações do caixa de uma empresa já é possível chegar a uma definição sobre ela.

De modo geral, um caixa que termina todos os meses constantemente no negativo, pode indicar que as receitas da empresa não cobrem o seu passivo. Mas, por quê?

Entender o motivo do porquê uma empresa gasta mais do que fatura é a chave da questão. Isso porque existem empresas que vivem no vermelho, mas continuam operando.

A realidade é que tudo depende da escala da operação. Empresas grandes têm condição de permanecer no vermelho por questões estratégicas. Já as pequenas, dificilmente.

Gostou de saber porque é tão importante se preocupar com o fluxo de caixa? Então aproveite e ponha o blog da Near You na sua lista de favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.